Arquitetura - wellingtonfernandes@mail.com

Wellington Fernandes

França terá condomínio exclusivo para pacientes com Alzheimer

Nos moldes de uma pequena cidade, o espaço deve estar pronto para funcionar em 2019

09/08/2018| POR GIOVANNA MARADEI | FOTOS: DIVULGAÇÃO casa vogue

França terá condomínio exclusivo para pacientes com Alzheimer (Foto: Divulgação)

Localizado na cidade de Dax, sudoeste da França, o Village Landais Alzheimer é uma espécie de condomínio desenvolvido exclusivamente para pessoas que sofrem de Alzheimer. A clínica mesclada com casa de repouso foi projetada pelos dinamarqueses do Nord Architects, que procuraram criar um ambiente no qual os pacientes se sintam livres, fiquem em contato com a natureza e estejam, ao mesmo tempo, seguros.
Pensada para abrigar cerca de 20 pacientes, 100 cuidadores, 12 voluntários e uma equipe de pesquisadores, o condomínio possuí infraestrutura semelhante a de uma pequena cidade, com supermercado, cabeleireiro, biblioteca, academia e até uma pequena fazenda. Já os dormitórios serão casas compartilhadas, projetadas para refletir os gostos pessoais de seus moradores e distribuídas em quatro bairros.

França terá condomínio exclusivo para pacientes com Alzheimer (Foto: Divulgação)

Com caminhos sempre muito seguros, mas sem cercas, em vez de optar pela arquitetura moderna, a vila ainda foi projetada para se parecer com o tradicional centro histórico de uma cidade medieval, o que a integra aos outros edifícios de Dax e garante que os pacientes não se sintam desorientados.

França terá condomínio exclusivo para pacientes com Alzheimer (Foto: Divulgação)


 

A inspiração para o complexo veio de uma instalação similar construída em Weesp, na Holanda, com o objetivo de tornar a vida de pacientes com demência mais pacífica e feliz. No caso da Vila francesa, no entanto, a clínica ainda conta com um núcleo de pesquisa dedicado a investigar os resultados do tratamento que está sendo desenvolvido.

Segundo o site The Spaces, o Landais Alzheimer deve custar cerca de US $ 34 milhões (financiado principalmente pelo governo) e será aberto até o final de 2019.