Marca Maxmeio

Arquitetura


30 de outubro de 2017   -   08:34:30

Evento mostra Marilia Bulhoes

 

Natal poderá conferir de perto, nesta quinta-feira (26), às 19h, na Officina Interiores, a aguardada mostra de Marília Bulhões, artista plástica potiguar com trânsito internacional. A curadoria do evento apresenta uma ousada composição de 16 obras, extraídas de sua mais recente produção, inspirada em sua estada nos EUA e América Central, nos últimos anos.

A maior parte das telas abstratas em acrílico é inédita, mas alguns trabalhos já foram expostos e premiados no exterior, a exemplo de “Corales de Roatán”, que recebeu menção honrosa na IV Bienal – UNAH de Honduras, em 2016, e do díptico exposto no Museu MIN de Tegucigalpa, resultante de sua participação como convidada especial nas comemorações alusivas ao dia internacional da mulher, na capital hondurenha, este ano.

Para a curadora internacional Roxana Martín, que a acompanhou em Washington, D.C., “Bulhões criou uma paisagem em evolução que pulsa com a energia do Brasil contemporâneo. Seu trabalho tem uma luminosidade que se propaga mesmo em suas tonalidades mais escuras. Ela aplica tinta em camadas, com suaves pinceladas com textura, que destacam a granulação da tela. A cor é transparente e as formas são, ao mesmo tempo, firmes e sutis. Enquanto algumas das pinturas refletem de imediato a tradição, outras são mais ousadas, com a inquietação do desconhecido. Todas conduzem o espectador a um espaço de diálogo e exploração. Trata-se de um trabalho tenaz, maduro, que combina beleza, imaginação e arte.”

A mostra, que tem apoio da FastFrame, está sendo organizada pelo StudioTres Arquitetura, escritório que representa a artista no Brasil, e parte da renda obtida com o evento será revertida para a AMICO, instituição beneficente que cuida de crianças cardiopatas.

 

espaço pronto para receber os convidados

       Juliana Bulhoes - Barbara Negreiros- Clarissa Alves- Erika Raposo- Renato Raposo

Juliana Bulhoes e Mariana Aurelio, ambas do escritorio que representa a artistaM arilia Bulhoes na

o Brasil. E responsavel pela curadoria e montagem da mostra: studiotres arquitetura

www.mariliabulhoes.com

bulhoes.marilia@gmail.com

instagram:marilia_bulhoes

face:Marilia Bulhoes studio tres arquitetura 84 99941 6644

Comentar (0) Curtir Twitter

Arquitetura


23 de outubro de 2017   -   15:18:01

Casa de papelão em um dia.


Casa sustentável de papelão pode ser montada em apenas um dia

Material é de alta resistência e ainda recebe revestimento de folhas impermeáveis e madeira para suportar chuvas

07/10/2017| POR MARCEL VERRUMO | FOTOS DIVULGAÇÃO

 (Foto:  )

A Fiction Factory, empresa holandesa de cenários teatrais, apresentou ao mercado a wikkelhouse, uma casa de papelão que pode ser construída em apenas um dia. As paredes da morada são feitas a partir de uma estrutura de papelão de alta resistência, a qual é formada por 24 camadas envolvidas em um molde central (essa característica de molde envolvido é o que dá nome ao produto que, em inglês, pode ser traduzido como “envolver a casa”).

 

 (Foto:  )

Ao contrário do que possa parecer à primeira vista, o fato de ser uma estrutura de papelão não faz com que a casa seja leve ou fácil de ser montada por um amador. Cada uma das “peças-paredes” que compõem a morada pesa cerca de 500 kgs, quantidade transportada pela própria Fiction Factor

 (Foto:  )
 (Foto:  )

Para evitar que a casa se deteriore com o tempo, o exterior da wikkelhouse é revestido com uma folha impermeável e com painéis de madeira, os quais protegem a estrutura interna, além de blindar os moradores de chuvas e outras adversidades.

 
 
 (Foto:  )

A estrutura é perfeita para casas temporárias e que precisam ser construídas com rapidez e eficiência, tanto em ambientes rurais quanto urbanos. Para quem mora no Brasil, a notícia ruim é que a wikkelhouse é comercializada apenas na Holanda, Bélgica, França, Alemanha, Reino Unido e Dinamarca.

 

Comentar (0) Curtir Twitter

Arquitetura


12 de setembro de 2017   -   11:07:46

Para viver a natureza

 

Uma casa para viver a natureza intensamente

Madeira, vidro e um terraço de contemplação levam a uma convivência intensa com os jardins e árvores ao redor desta morada no México

10/09/2017| TEXTO CAROL SCOLFORO | FOTOS CCÚBICA/DIVULGAÇÃO

vogue

Uma casa para viver a natureza intensamente (Foto: CCúbica/Divulgação)

O trânsito, o caos urbano, um dia cheio no trabalho. Todas as grossas experiências que se pode ter na rua são esquecidas ao entrar nesta casa, na Cidade do México. Essa era a ideia inicial que o escritório de arquitetura mexicano C Cúbica Arquitetos tinha ao criar o projeto, apostando em muita madeira, vidro e em uma vivência intensa com o verde e a luz do dia. Por isso ela foi batizada de Casa Del Suspiro. “O clima cálido da entrada rouba ao menos um suspiro dos moradores e de seus convidados”, explicam os arquitetos Emilio Cabrero, Andrea Cesarman e Marco Coello.

 

Uma casa para viver a natureza intensamente (Foto: CCúbica/Divulgação)
Uma casa para viver a natureza intensamente (Foto: CCúbica/Divulgação)


A sensação refrescante se dá logo no jardim, que cria uma atmosfera suave na entrada da residência. Ainda que o entorno seja urbano e moderno, o verde acompanha a vista de praticamente todos os ambientes dos quatro pavimentos. A leveza e a naturalidade com que a madeira é usada traz um visual caloroso, sem exigir muitos complementos tanto na área externa como nos interiores.

 

Uma casa para viver a natureza intensamente (Foto: CCúbica/Divulgação)
Uma casa para viver a natureza intensamente (Foto: CCúbica/Divulgação)

A madeira reveste a casa, toma as paredes com prateleiras e está nos móveis que compõem os espaços. Na cozinha, o material dá forma a um armário com cara de feira natural, que exibe os legumes e os deixa à mão. Perto dali, a sala de jantar integrada ao living mostra a fluidez e a amplitude da arquitetura.

 

Uma casa para viver a natureza intensamente (Foto: CCúbica/Divulgação)
Uma casa para viver a natureza intensamente (Foto: CCúbica/Divulgação)
Uma casa para viver a natureza intensamente (Foto: CCúbica/Divulgação)


Aconchego e conforto são as prioridades na escolha dos móveis de tons claros. Para colorir os ambientes, basta o verde dos jardins, que surge por meio das enormes janelas de vidro. No quarto de casal, essa estratégia vai além: um terraço de contemplação com pergolado permite que os moradores relaxem em meio à copa de uma das árvores do terreno.  

Uma casa para viver a natureza intensamente (Foto: CCúbica/Divulgação)
Uma casa para viver a natureza intensamente (Foto: CCúbica/Divulgação)
Uma casa para viver a natureza intensamente (Foto: CCúbica/Divulgação)
Uma casa para viver a natureza intensamente (Foto: CCúbica/Divulgação)
Uma casa para viver a natureza intensamente (Foto: CCúbica/Divulgação)

Comentar (0) Curtir Twitter

Arquitetura


01 de agosto de 2017   -   11:06:01

Mula preta design poltrona basquete

 

Decoração cinza e tijolinhos marcam apartamento de 80 m²

Projeto urbano com um toque rústico para o proprietário velejador

01/08/2017| POR AMANDA SEQUIN | FOTOS DIVULGAÇÃO casa vogue

Decoração cinza e tijolinhos marcam apartamento de 80 m² (Foto: Divulgação)

"Com um toque rústico, mas sem deixar a jovialidade de lado". Esse era o desejo do proprietário para a reforma e decoração de seu apartamento, e prontamente acatado pelo escritório de arquitetura Tucah Campos. Velejador, ele buscava trazer um pouco da atmosfera praiana para dentro do lar, situado no bairro Aclimação, em São Paulo. 

 

Decoração cinza e tijolinhos marcam apartamento de 80 m² (Foto: Divulgação)

A escolha dos materiais partiu da mistura entre praia e cidade e, em apenas três meses, o layout de 90 m² com dois quartos ficou pronto. Algumas mudanças estruturais foram feitas para deixar o conjunto prático e totalmente integrado. A sala de estar, por exemplo, ganhou amplitude ao incorporar a varanda assumindo os pilares estruturais sem qualquer painel ou outro item que atrapalhasse a fluidez visual.
 

Decoração cinza e tijolinhos marcam apartamento de 80 m² (Foto: Divulgação)
Decoração cinza e tijolinhos marcam apartamento de 80 m² (Foto: Divulgação)

Também aberta ao living, a cozinha adota sofisticados tons de cinza, cor que predomina em no décor do projeto. Toda a lateral ganhou armários com cavas discretas, que começam da antiga varanda e seguem até o corredor. Ali, a lavanderia também fica camuflada pelas portas foscas.  

Decoração cinza e tijolinhos marcam apartamento de 80 m² (Foto: Divulgação)
Decoração cinza e tijolinhos marcam apartamento de 80 m² (Foto: Divulgação)

A decoração acinzentada contempla o visual urbano industrial, mas são outros detalhes que trazem o rústico desejado pelo morador: os tijolos de revestimento e a madeira. Os bricks laranjas foram aplicados na sala, formando um L, enquanto no quarto adotam a cor do concreto. Já a madeira também segue a paleta de cinzas, sendo aplicada no painel do living que guarda um discreto lavabo. Os mobiliário solto, por sua vez, dá o arremate final para um resultado contemporâneo. 

Decoração cinza e tijolinhos marcam apartamento de 80 m² (Foto: Divulgação)
Decoração cinza e tijolinhos marcam apartamento de 80 m² (Foto: Divulgação)

Comentar (0) Curtir Twitter

Arquitetura


18 de julho de 2017   -   14:19:56

Prédio abandonado em Copenhague

Prédio abandonado virou edifício "cool" em Copenhague

Projeto assinado pelo escritório COBE faz parte do plano de revitalização da área industrial da cidade

16/07/2017| POR GIOVANNA MARADEI | FOTOS: DIVULGAÇÃO

Prédio abandonado virou edifício cool em Copenhague  (Foto: Rasmus Hjortshoj)

Com 17 andares, o mais novo e descolado edifício de North Harbour, bairro portuário de Copenhague, na Dinamarca, foi usado durante 50 anos para armazenar grãos - até que se tornou completamente obsoleto.



Agora, o prédio abandonado ganha nova vida - e personalidade -  com o projeto do escritório de arquitetura COBE - que sem tirar a alma do armazém, e aproveitando a robusta estrutura de concreto, criou um residencial de dar inveja no melhor do estilo industrial.

Prédio abandonado virou edifício cool em Copenhague  (Foto: Rasmus Hjortshoj)
Prédio abandonado virou edifício cool em Copenhague  (Foto: Rasmus Hjortshoj)

"extreme makeover" começou na fachada. Atendo aos clientes Klaus Kastbjerg e a NRE Denmark, os arquitetos instalaram uma superfície de aço angular cuja pátina presta homenagem ao passado industrial da área. Ainda foi preciso abrir espaço para janelas e varandas que se encaixam em todos os quatro lados do prédio

Prédio abandonado virou edifício cool em Copenhague  (Foto: Rasmus Hjortshoj)

Já no interior, os 38 apartamentos tem tamanhos que variam entre 106 e 401 m², todos com pé direito de 7m e piso de concreto, já que a intenção era criar ambientes próximos da estrutura original.

Prédio abandonado virou edifício cool em Copenhague  (Foto: Rasmus Hjortshoj)
Prédio abandonado virou edifício cool em Copenhague  (Foto: Rasmus Hjortshoj)

O antigo depósito é o maior dos edifícios industriais da área e por isso, além de abrigar apartamentos, incorporou alguns espaços públicos, incluindo um restaurante no andar superior e um espaço de eventos no piso térreo.

Prédio abandonado virou edifício cool em Copenhague  (Foto: Rasmus Hjortshoj)
Prédio abandonado virou edifício cool em Copenhague  (Foto: Rasmus Hjortshoj)

Angulado e imponente, o edifício é o projeto central de um grande plano de revitalização  de North Harbour. A área originalmente industrial está sendo transformada em um bairro residencial e de uso misto, ganhando outras áreas novas, como o Park + Play criado pelo JAJA Architects, que fica bem ao lado do prédio.

Prédio abandonado virou edifício cool em Copenhague  (Foto: Rasmus Hjortshoj)
 

 

Comentar (0) Curtir Twitter

Arquitetura


05 de julho de 2017   -   15:37:05

Árvore solar

Rock in Rio 2017 terá "árvore solar" capaz de recarregar celulares

Iniciativa sustentável faz parte do Amazona Live, projeto socioambiental do Rock in Rio 2017

03/07/2017| POR REDAÇÃO | FOTOS DIVULGAÇÃO casa vogue


Rock in Rio terá

O Rock in Rio 2017 promete ser mais verde do que nunca.  Através do projeto Amazona Live o festival se compromete com uma série de atitudes verdes - entre elas a instalação de "árvores solares" que serviram como estação de apoio para que os participantes recarreguem a bateria do seu celular.



A "OPTREE" foi criada pela startup brasileira SUNEW, em parceria com a Metalco do Brasil, e é capaz de captar energia solar através de filmes fotovoltaicos instalados nas folhas. No Rock in Rio a estação de recarga terá  5 árvores fotovoltaicas fornecendo energia gratuitamente - cada uma com 10 tomadas USB.

Rock in Rio terá

O design em formato de árvore ainda deixa as ilhas de descanso com uma aparência mais agradável e sensibiliza o público quanto à importância da sustentabilidade e da responsabilidade ambiental.

Rock in Rio terá
 

 

Comentar (0) Curtir Twitter

EDIÇÃO N° 52 - OUTUBRO DE 2017