Marca Maxmeio

Arquitetura


12 de setembro de 2017   -   11:07:46

Para viver a natureza

 

Uma casa para viver a natureza intensamente

Madeira, vidro e um terraço de contemplação levam a uma convivência intensa com os jardins e árvores ao redor desta morada no México

10/09/2017| TEXTO CAROL SCOLFORO | FOTOS CCÚBICA/DIVULGAÇÃO

vogue

Uma casa para viver a natureza intensamente (Foto: CCúbica/Divulgação)

O trânsito, o caos urbano, um dia cheio no trabalho. Todas as grossas experiências que se pode ter na rua são esquecidas ao entrar nesta casa, na Cidade do México. Essa era a ideia inicial que o escritório de arquitetura mexicano C Cúbica Arquitetos tinha ao criar o projeto, apostando em muita madeira, vidro e em uma vivência intensa com o verde e a luz do dia. Por isso ela foi batizada de Casa Del Suspiro. “O clima cálido da entrada rouba ao menos um suspiro dos moradores e de seus convidados”, explicam os arquitetos Emilio Cabrero, Andrea Cesarman e Marco Coello.

 

Uma casa para viver a natureza intensamente (Foto: CCúbica/Divulgação)
Uma casa para viver a natureza intensamente (Foto: CCúbica/Divulgação)


A sensação refrescante se dá logo no jardim, que cria uma atmosfera suave na entrada da residência. Ainda que o entorno seja urbano e moderno, o verde acompanha a vista de praticamente todos os ambientes dos quatro pavimentos. A leveza e a naturalidade com que a madeira é usada traz um visual caloroso, sem exigir muitos complementos tanto na área externa como nos interiores.

 

Uma casa para viver a natureza intensamente (Foto: CCúbica/Divulgação)
Uma casa para viver a natureza intensamente (Foto: CCúbica/Divulgação)

A madeira reveste a casa, toma as paredes com prateleiras e está nos móveis que compõem os espaços. Na cozinha, o material dá forma a um armário com cara de feira natural, que exibe os legumes e os deixa à mão. Perto dali, a sala de jantar integrada ao living mostra a fluidez e a amplitude da arquitetura.

 

Uma casa para viver a natureza intensamente (Foto: CCúbica/Divulgação)
Uma casa para viver a natureza intensamente (Foto: CCúbica/Divulgação)
Uma casa para viver a natureza intensamente (Foto: CCúbica/Divulgação)


Aconchego e conforto são as prioridades na escolha dos móveis de tons claros. Para colorir os ambientes, basta o verde dos jardins, que surge por meio das enormes janelas de vidro. No quarto de casal, essa estratégia vai além: um terraço de contemplação com pergolado permite que os moradores relaxem em meio à copa de uma das árvores do terreno.  

Uma casa para viver a natureza intensamente (Foto: CCúbica/Divulgação)
Uma casa para viver a natureza intensamente (Foto: CCúbica/Divulgação)
Uma casa para viver a natureza intensamente (Foto: CCúbica/Divulgação)
Uma casa para viver a natureza intensamente (Foto: CCúbica/Divulgação)
Uma casa para viver a natureza intensamente (Foto: CCúbica/Divulgação)

Comentar (0) Curtir Twitter

Arquitetura


01 de agosto de 2017   -   11:06:01

Mula preta design poltrona basquete

 

Decoração cinza e tijolinhos marcam apartamento de 80 m²

Projeto urbano com um toque rústico para o proprietário velejador

01/08/2017| POR AMANDA SEQUIN | FOTOS DIVULGAÇÃO casa vogue

Decoração cinza e tijolinhos marcam apartamento de 80 m² (Foto: Divulgação)

"Com um toque rústico, mas sem deixar a jovialidade de lado". Esse era o desejo do proprietário para a reforma e decoração de seu apartamento, e prontamente acatado pelo escritório de arquitetura Tucah Campos. Velejador, ele buscava trazer um pouco da atmosfera praiana para dentro do lar, situado no bairro Aclimação, em São Paulo. 

 

Decoração cinza e tijolinhos marcam apartamento de 80 m² (Foto: Divulgação)

A escolha dos materiais partiu da mistura entre praia e cidade e, em apenas três meses, o layout de 90 m² com dois quartos ficou pronto. Algumas mudanças estruturais foram feitas para deixar o conjunto prático e totalmente integrado. A sala de estar, por exemplo, ganhou amplitude ao incorporar a varanda assumindo os pilares estruturais sem qualquer painel ou outro item que atrapalhasse a fluidez visual.
 

Decoração cinza e tijolinhos marcam apartamento de 80 m² (Foto: Divulgação)
Decoração cinza e tijolinhos marcam apartamento de 80 m² (Foto: Divulgação)

Também aberta ao living, a cozinha adota sofisticados tons de cinza, cor que predomina em no décor do projeto. Toda a lateral ganhou armários com cavas discretas, que começam da antiga varanda e seguem até o corredor. Ali, a lavanderia também fica camuflada pelas portas foscas.  

Decoração cinza e tijolinhos marcam apartamento de 80 m² (Foto: Divulgação)
Decoração cinza e tijolinhos marcam apartamento de 80 m² (Foto: Divulgação)

A decoração acinzentada contempla o visual urbano industrial, mas são outros detalhes que trazem o rústico desejado pelo morador: os tijolos de revestimento e a madeira. Os bricks laranjas foram aplicados na sala, formando um L, enquanto no quarto adotam a cor do concreto. Já a madeira também segue a paleta de cinzas, sendo aplicada no painel do living que guarda um discreto lavabo. Os mobiliário solto, por sua vez, dá o arremate final para um resultado contemporâneo. 

Decoração cinza e tijolinhos marcam apartamento de 80 m² (Foto: Divulgação)
Decoração cinza e tijolinhos marcam apartamento de 80 m² (Foto: Divulgação)

Comentar (0) Curtir Twitter

Arquitetura


18 de julho de 2017   -   14:19:56

Prédio abandonado em Copenhague

Prédio abandonado virou edifício "cool" em Copenhague

Projeto assinado pelo escritório COBE faz parte do plano de revitalização da área industrial da cidade

16/07/2017| POR GIOVANNA MARADEI | FOTOS: DIVULGAÇÃO

Prédio abandonado virou edifício cool em Copenhague  (Foto: Rasmus Hjortshoj)

Com 17 andares, o mais novo e descolado edifício de North Harbour, bairro portuário de Copenhague, na Dinamarca, foi usado durante 50 anos para armazenar grãos - até que se tornou completamente obsoleto.



Agora, o prédio abandonado ganha nova vida - e personalidade -  com o projeto do escritório de arquitetura COBE - que sem tirar a alma do armazém, e aproveitando a robusta estrutura de concreto, criou um residencial de dar inveja no melhor do estilo industrial.

Prédio abandonado virou edifício cool em Copenhague  (Foto: Rasmus Hjortshoj)
Prédio abandonado virou edifício cool em Copenhague  (Foto: Rasmus Hjortshoj)

"extreme makeover" começou na fachada. Atendo aos clientes Klaus Kastbjerg e a NRE Denmark, os arquitetos instalaram uma superfície de aço angular cuja pátina presta homenagem ao passado industrial da área. Ainda foi preciso abrir espaço para janelas e varandas que se encaixam em todos os quatro lados do prédio

Prédio abandonado virou edifício cool em Copenhague  (Foto: Rasmus Hjortshoj)

Já no interior, os 38 apartamentos tem tamanhos que variam entre 106 e 401 m², todos com pé direito de 7m e piso de concreto, já que a intenção era criar ambientes próximos da estrutura original.

Prédio abandonado virou edifício cool em Copenhague  (Foto: Rasmus Hjortshoj)
Prédio abandonado virou edifício cool em Copenhague  (Foto: Rasmus Hjortshoj)

O antigo depósito é o maior dos edifícios industriais da área e por isso, além de abrigar apartamentos, incorporou alguns espaços públicos, incluindo um restaurante no andar superior e um espaço de eventos no piso térreo.

Prédio abandonado virou edifício cool em Copenhague  (Foto: Rasmus Hjortshoj)
Prédio abandonado virou edifício cool em Copenhague  (Foto: Rasmus Hjortshoj)

Angulado e imponente, o edifício é o projeto central de um grande plano de revitalização  de North Harbour. A área originalmente industrial está sendo transformada em um bairro residencial e de uso misto, ganhando outras áreas novas, como o Park + Play criado pelo JAJA Architects, que fica bem ao lado do prédio.

Prédio abandonado virou edifício cool em Copenhague  (Foto: Rasmus Hjortshoj)
 

 

Comentar (0) Curtir Twitter

Arquitetura


05 de julho de 2017   -   15:37:05

Árvore solar

Rock in Rio 2017 terá "árvore solar" capaz de recarregar celulares

Iniciativa sustentável faz parte do Amazona Live, projeto socioambiental do Rock in Rio 2017

03/07/2017| POR REDAÇÃO | FOTOS DIVULGAÇÃO casa vogue


Rock in Rio terá

O Rock in Rio 2017 promete ser mais verde do que nunca.  Através do projeto Amazona Live o festival se compromete com uma série de atitudes verdes - entre elas a instalação de "árvores solares" que serviram como estação de apoio para que os participantes recarreguem a bateria do seu celular.



A "OPTREE" foi criada pela startup brasileira SUNEW, em parceria com a Metalco do Brasil, e é capaz de captar energia solar através de filmes fotovoltaicos instalados nas folhas. No Rock in Rio a estação de recarga terá  5 árvores fotovoltaicas fornecendo energia gratuitamente - cada uma com 10 tomadas USB.

Rock in Rio terá

O design em formato de árvore ainda deixa as ilhas de descanso com uma aparência mais agradável e sensibiliza o público quanto à importância da sustentabilidade e da responsabilidade ambiental.

Rock in Rio terá
 

 

Comentar (0) Curtir Twitter

Arquitetura


22 de junho de 2017   -   15:41:22

Degradê x bicolor

 

Batalha de tendências: degradê x bicolor

Dois jeitos fáceis e descolados de pintar as paredes

21/06/2017| POR AMANDA SEQUIN E PAULA JACOB. fotos divulgação

casa vogue

Esqueça as paredes brancas! Nesta quarta-feira (21/06), o Batalha de Tendências, programa ao vivo que acontece toda semana às 15h no Facebook da Casa Vogue, apresenta duas formas incríveis de pintar as superfícies dos diversos ambientes da casa, deixando-as degradê ou bicolores! Inspire-se a seguir os ambientes escolhidos. 



DEGRADÊ

Tendência: 7 dicas para adotar o sereismo na decoração (Foto: reprodução)

Com inspiração no mar e nas cores da natureza poente ou nascente, o degradê na decoração é um poderoso acessório para deixar a vida mais calma. Com influências presentes no sereismo, tendência forte para a temporada, a gradação de cores, do mais fraco para o mais forte (ou vice versa) dá versatilidade ao cômodo. É uma ótima alternativa para incrementar a parede de uma decoração minimalista, por exemplo, sem exageros. A paleta de cor também pode variar, sendo complementada com elementos pontuais espalhados pelo espaço. Trazer a natureza para dentro de casa pode ser feita, portanto, para além das flores e folhagens. A pintura pode não parecer das mais fáceis, mas não é motivo para deixar de investir. Busque alternativas em marcas de papel de parede e aplique no ambiente todo ou apenas em um canto ou quadro. O resultado é despretensioso e muito versátil.


 

BICOLORES
 

Batalha de tendências: degradê x bicolor (Foto: Reprodução)

Apostar no duo de cores nas paredes é uma alternativa interessante para fugir da mesmice e criar desenhos nas superfícies de forma rápida e prática. Basta um pouco de criatividade e boas camadas de fita crepe, duas tintas diferentes e pronto: a decoração é outra! O recurso é divertido e não exige muitos complementos para fazer efeito: é possível usar cores contrastantes para um visual de impacto ou, ainda, usar tons mais similares e neutros para uma composição delicada. Além de decorar, é uma opção versátil para setorizar ambientes e destacar possíveis objetos. Vale, ainda, seguir a mesma ideia em outras superfícies, como cortinas e quadros, dando uma unidade - e um toque de ousadia - ao conjunto. 

 

AMBIENTES

Degradê
 

Batalha de tendências degradê (Foto: Divulgação)
Batalha de tendências degradê (Foto: Divulgação)
Batalha de tendências degradê (Foto: Divulgação)

 

Batalha de tendências degradê (Foto: Divulgação)
Batalha de tendências degradê (Foto: Divulgação)
Batalha de tendências degradê (Foto: Divulgação)

 

Batalha de tendências degradê (Foto: Divulgação)
Batalha de tendências degradê (Foto: Divulgação)
Batalha de tendências degradê (Foto: Divulgação)

 

Batalha de tendências degradê (Foto: Divulgação)
Batalha de tendências degradê (Foto: Divulgação)
Batalha de tendências degradê (Foto: Divulgação)

 

Batalha de tendências degradê (Foto: Divulgação)
Batalha de tendências degradê (Foto: Divulgação)
Batalha de tendências degradê (Foto: Divulgação)

 

Batalha de tendências degradê (Foto: Divulgação)

Bicolores
 

Batalha de tendências: degradê x bicolor (Foto: Reprodução)
Batalha de tendências: degradê x bicolor (Foto: Reprodução)
Batalha de tendências: degradê x bicolor (Foto: Reprodução)
Batalha de tendências: degradê x bicolor (Foto: Reprodução)
Batalha de tendências: degradê x bicolor (Foto: Reprodução)
Batalha de tendências: degradê x bicolor (Foto: Reprodução)
Batalha de tendências: degradê x bicolor (Foto: Reprodução)
Batalha de tendências: degradê x bicolor (Foto: Reprodução)
Batalha de tendências: degradê x bicolor (Foto: Reprodução)
Batalha de tendências: degradê x bicolor (Foto: Reprodução)
Batalha de tendências: degradê x bicolor (Foto: Reprodução)


 

Batalha de tendências: degradê x bicolor (Foto: Reprodução)
Batalha de tendências: degradê x bicolor (Foto: Reprodução)
Batalha de tendências: degradê x bicolor (Foto: Reprodução)
Batalha de tendências: degradê x bicolor (Foto: Reprodução)

Comentar (0) Curtir Twitter

Arquitetura


14 de junho de 2017   -   15:17:14

Acessibilidade casa cor SP 2017

Acessibilidade: conheça os detalhes inclusivos da CASACOR SP 2017

Com ambientes 100% inclusivos, a mostra paulistana possui fácil acesso a todos os espaços e, ainda, dois scooters (cadeiras automatizadas) de prontidão

É fato que o tempo traz maturidade, sabedoria, apara as arestas, dá sentido as coisas. É assim que a CASACOR São Paulo se sente em relação a muitos aspectos, entre eles, a acessibilidade. A mostra entende a importância do tema e, mais do que seguir normas e leis, o amadurecimento adquirido ao longo de tantas edições já realizadas, revelou o quão urgente era humanizar e generalizar o tratamento em torno do assunto.

“Foi muito importante ver a evolução do que começamos em 2005. Eis que via-se certa resistência dos profissionais em aceitar a acessibilidade aliada ao design de interiores. Hoje o que se percebe é que o desenho universal prevalece e os conceitos de acessibilidade, conforme as normas técnicas, estão diluídos em todos os ambientes e na circulação horizontal e vertical da mostra”, revela Silvana Cambiaghi, arquiteta e representante da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida (SMPED) na Comissão Permanente de Acessibilidade (CPA). A profissional é, ainda, mestre em acessibilidade e desenho universal, e trabalha há mais de 25 anos na Prefeitura de São Paulo.

Oswaldo Fantini, Cris Ferraz e Silvana Cambiaghi (Rafael Renzo/CASACOR)

Por toda a CASACOR São Paulo é possível encontrar corrimões instalados (em conformidade com a NBR 9050/2015), e rampas que apresentam inclinação adequada e validada pelo SEGUR. Além disso, a organização do evento disponibiliza dois scooters (cadeiras automatizadas) para facilitar a locomoção dos visitantes com acesso a 100% dos ambientes decorados. “O elevador foi trocado por um novo e muito confortável para todos, nem se percebe que acessibilidade está em todos os ambientes. Vale a pena ver com este olhar e saber que a mostra paulistana é, sem dúvida, um exemplo de acessibilidade. Ainda mais por estar em um prédio tombado como o Jockey Club de São Paulo. É um exemplo que serve de inspiração”, afirma a arquiteta.

Inspirados nos restaurantes franceses com décor retrô chique, estilo que marcou o período entre os anos 1950 e 1970 na Europa, Patrizia Genovese e Guilherme Longo, do 242 Studio, assinam o Restaurante da CASACOR São Paulo 2017, operado pelo Badebec (Renato Navarro/CASACOR)

 

Comentar (0) Curtir Twitter

EDIÇÃO N° 50 - AGOSTO DE 2017