Saúde

Foto: Divulgação
em 2 junho, 2018

Conselho de Medicina fiscaliza Maternidade e UPA de Parnamirim

Na manhã de ontem (01), o Conselho Regional de Medicina do RN – CREMERN, através do seu Departamento de Fiscalização - DEFIS, esteve visitando a Maternidade Divino Amor e a Unidade de Pronto Atendimento de Nova Esperança, ambas na cidade de Parnamirim. O Conselho constatou que a situação crítica já vinha sendo anunciada e as medidas administrativas necessárias não foram tomadas.


A fiscalização foi motivada por problemas no abastecimento de materiais e medicamentos, comprometendo a atividade do médico e dos demais profissionais que ali trabalham. A maternidade encontra-se parcialmente abastecida, porque desde quinta-feira (31) conta com itens que estão sendo disponibilizados pela SESAP. No entanto, trata-se de uma medida paliativa e que não está suprindo as necessidades reais da Unidade.


A Secretaria Municipal da Saúde chegou a anunciar a suspensão dos atendimentos de urgência obstétrica de alto risco, cesáreas de baixo risco e a admissão de novos pacientes na UTI Neonatal pelo período de 1 a 30 de junho, que acabou sendo cancelada.


De acordo com o DEFIS, a situação da UPA é mais crítica e sua diretoria decidiu restringir o atendimento que será mantido para os pacientes mais graves, meia hora antes da chegada da equipe de fiscalização do CREMERN. As equipes médicas das unidades relataram a falta de insumos básicos repercutindo na assistência. “A situação crítica já vinha sendo anunciada e as medidas administrativas necessárias não foram tomadas a tempo gerando o quadro atual. A Fiscalização elaborará um relatório que será apreciado pelo plenário do CREMERN para as medidas cabíveis”, disse o Conselheiro e chefe do DEFIS, Dr. Francisco de Almeida Braga.


O CREMERN alerta que os serviços fiscalizados são essenciais para o atendimento da população da cidade de Parnamirim e sua restrição parcial ou total acarreta um grave problema para a rede de assistência a saúde que já trabalha com graves deficiências.