Polícia

em 8 março, 2018

Em média, 7 denúncias diárias de violência contra a mulher são registradas no RN

Nos últimos três anos, o número de mulheres assassinadas cresceu no RN. Dados da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed), de 2015 a 2017, o percentual de assassinatos contra mulheres, o chamado feminicídio, cresceu 34,2 %, tendo uma redução de 20,6%, segundo o Portal de Notícias G1/RN. Embora o número tenha diminuido, se comparado a outros anos, a violência contra a mulher ainda é um fator preocupante no estado.

Se o número de feminicídios, que ainda é muito perturbante, diminuiu, o número de denúncias de violências como ameaças, estupros ou agressões, cresceu. De 3,3 em 2015, esse número saltou para uma média de 7,4 casos relatados diariamente em 2017, de acordo com dados relatados pela Coordenadoria de Defesa dos Direitos da Mulher e das Minorias (Codimm), orgão adjunto da Sesed. 

"A Lei Maria da Penha não veio para punir o agressor, mas para proteger a mulher. Houve, sim, uma redução da violência contra a mulher. Contudo, temos uma cultura extremamente machista, onde o homem ainda acredita que tem poder e domínio absolutos. E, quando ameaçado ou desafiado, ele recorre ao uso da força e da violência", frisou Erlância Passos, que coordena a Codimm.