Mundo

em 2 agosto, 2018

Escândalo de corrupções causam novas prisões que sacodem a Argentina

Nesta ultima quarta-feira (1), a Justiça Argentina decretou a prisão de uma dúzia de ex-funcionários do governo da ex presidenta Cristina Kirchner e alguns empresários. No caso também está envolvido um dos empresários ligados a família do atual presitente argentino, Mauricio Macri, em meio a um escândalo de corrupção que sacudiu o país.

De acordo com informações do portal de notícias Veja, entre os envolvidos estão o ex secretário da coordenação do ex-ministro do Planejamento Federal, Roberto Baratta; Julio De Vido, que também teve sua prisão efetuada devido a supostos casos de corrupção; os empresários Gerardo Ferreira, da Electroingeniería, e Javier Sánchez Caballero, da construtora Lecsa; e o ex-presidente legal do Planejamento Federal, Rafael Llorens.

A atual senadora e ex-presidente Cristina Kirchner, também foi convocada para prestar depoimento no próximo dia 13 de agosto. Porém, por o caso está sendo mantido sob sigilo, não se sabe se Kirchner teria sido convocada no caráter de testemunha ou indiciada.

Ainda segundo informações do portal Veja, a promotoria declarou que o esquema de corrupção movimentou "cerca de 160 milhões de dólares em dinheiro", que teriam sido provenientes de pagamentos de subornos efetuados por empresários em troca de obras públicas.