Nacional

Foto: Reprodução
em 9 julho, 2018

Polícia investiga mãe suspeita de incitar filho deficiente a comer ração em vasilha de cachorro

A Polícia Civil está investigando uma mãe suspeita de incitar um menino deficiente de 2 anos a comer ração de cachorro e registrar a cena em Trindade (GO). Além dela, segundo o G1, uma tia-avó da criança também teria participado das agressões.

Em um vídeo, as mulheres riem do garoto, que não consegue andar, e o chamam pelo nome do cão.

O caso foi denunciado pela avó paterna do menino. À polícia, ela afirmou que o garoto tem insuficiência múltipla, mora com a mãe e a tia-avó e passa os fins de semana com ela. Ela disse já ter percebido a criança com alguns machucados em ocasiões anteriores e teria questionado a mãe sempre que isso acontecia.

O delegado Vicente Gravina afirmou ao G1 que mãe e tia-avó podem responder por constrangimento de crianças e adolescentes. Ninguém foi preso, porque, segundo ele, não houve flagrante.

“A avó recebeu esse vídeo da tia da mãe do menino e ficou indignada. Essa tia que fez a gravação e a mãe acompanhou tudo. Imediatamente a avó foi na casa da nora e buscou a criança, que começou a passar mal. Então, ela veio e denunciou o caso. Agora vamos intimar ainda essa semana as duas mulheres para prestarem depoimento”, disse o delegado ao portal.

O Estatuto da Criança e do Adolescente prevê que submeter criança e adolescente a vexame ou a constrangimento, sob autoridade, guarda ou vigilância dos pais ou responsáveis, prevê pena de detenção de 6 meses a 2 anos.

Em nota assinada pela advogada Márcia Gabrielle Sampaio Carvalho, os pais da criança negaram intenção “pejorativa ou maldosa” na gravação das imagens, “uma vez que a criança é muito amada e cuidada por todos que o cercam” e dizem estar sofrendo com a repercussão do caso.

 

 

 

 

 

Autor(a): Saulo de Castro