Cultura

em 10 fevereiro, 2020

A nova iluminação do Memorial Câmara Cascudo

Foto: Canindé Soares

O Instituto Neoenergia, braço de atuação social do grupo controlador da Cosern, conta com um programa de valorização do patrimônio histórico, artístico e cultural de monumentos localizados nos estados de atuação da empresa. Em Natal, o patrimônio escolhido para ganhar nova iluminação foi o Memorial Câmara Cascudo.

O Memorial foi escolhido, segundo Renata Chagas, diretora do Instituto Neoenergia, em conjunto com a Fundação José Augusto, pela importância nacional do folclorista potiguar, a relevância arquitetônica do prédio e o sítio histórico onde ele está localizado (na Praça André de Albuquerque, marco zero da fundação de Natal). 
 
A nova iluminação conta com 53 refletores de lâmpadas de LED para iluminar a estátua de Câmara Cascudo e a fachada do prédio histórico. O sistema é todo automatizado e, por meio de sensores, as lâmpadas são acesas e apagadas de acordo com a iluminação natural na região.

O evento de entrega, marcado para quinta-feira (13), terá apresentações culturais do projeto Conexão Felipe Camarão e da peça “Quintal de Luis”, do grupo Estação de Teatro, contando a vida de Cascudo, a partir das 18h, com presenças de representantes da Fundación Iberdrola España, da Neoenergia, da Cosern, de familiares de Câmara Cascudo (1898-1986), de artistas, intelectuais e autoridades do Governo do Estado.

Tudo acontece no Largo Gumercindo Saraiva, espaço localizado no quintal do edifício. Ocasião aberta ao público.

A estimativa é de que esse novo sistema de iluminação gere economia de 65% no consumo de energia do edifício.

Em tempo

De outros patrimônio imóveis que já receberam iluminação em estados brasileiros, dentro da mesma ação, estão o Forte das Cinco Pontas, no Recife (PE), a Fortaleza da Barra Grande, no Guarujá (SP), e a Cruz de Cabrália, em Santa Cruz de Cabrália (BA).

História

O Memoral Câmara Cascudo funciona no edifício de estilo neoclássico que foi construído em 1857 para abrigar a Thesouraria da Fazenda Real durante o Império. 

Também já sediou a Delegacia Fiscal (1952-1955) e o Quartel General do Exército (1955-1977). Desde 1987, abriga o memorial, que tem por objetivo de preservar e divulgar a obra do maior folclorista brasileiro. No local está instalada a biblioteca particular de Cascudo, com cerca de 10 mil volumes.

Autor(a): Eliana Lima