Nacional

em 8 março, 2020

Matéria sobre a morte do menino vítima de Suzy

Matéria publicada no G1 SP no dia seis de maio de 2010.

Eis o texto:

Um bairro inteiro da Zona Leste de São Paulo fez uma manifestação nesta quinta-feira (6) após a morte de um garoto de 9 anos, que representa o fim de um período de quase três anos sem assassinatos em União de Vila Nova.

A foto do menino ainda está colada pelo bairro e na mão dos moradores. Mas ninguém procura mais o menino. Fábio dos Santos Lemos, de nove anos, desapareceu na segunda-feira (3). Na madrugada de quarta (5), o corpo dele foi encontrado a 20 metros da casa onde morava, enrolado em um lençol, com marcas de espancamento.

“A gente não entende como o ser humano é capaz de fazer tal coisa, tamanha maldade com a criança”, diz o segurança Julival Pereira da Silva.

Ainda em choque, o pai tenta entender o que aconteceu. Ele conta que o filho sempre ficava sozinho em casa quando a mãe saía para trabalhar e que todos no bairro adoravam o menino.

“Ele era um filho para todo mundo, via uma senhora com sacola e falava: Quer ajuda?”, conta Emerson Ramos da Costa Lemos.

Nesta quinta-feira (6), quando o corpo do garoto chegou ao Cemitério da Saudade, em São Miguel Paulista, dezenas de amigos tentavam consolar a família. No cortejo, o pedido de justiça.

Em luto, parte do comércio e as escolas fecharam as portas. No bairro, o clima é de revolta e preocupação.

“É triste, assim como aconteceu com o garotinho dessa mãe poderia ter sido com a minha filha”, diz a dona de casa Avani Rodrigues de Souza.

“Eu tenho crianças que brincam e eu não estou deixando ficar na rua devido a esse acontecimento. Porque ninguém esperava isso, nunca aconteceu isso no bairro”, afirma a dona de casa Tatiane Canabarrado.

A União de Vila Nova chora a morte do menino e o fim de um período de paz. No bairro, que já foi um dos mais violentos de São Paulo, havia pelo menos dois anos e meio ninguém era assassinado.

O caso foi encaminhado para o DHPP, a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa. A delegada Cíntia Tucunduva promete rigor na investigação.

“Nós estamos trabalhando com todas as informações que estão sendo passadas e vamos checar uma a uma até chegar por um caminho único.”

A polícia já sabe que o menino morreu estrangulado longe do local onde o corpo foi encontrado.
 

Autor(a): Eliana Lima
Fonte: G1