Cidade

em 10 março, 2020

MPF cobra implantação de faixa de acostamento na estrada da morte no RN

Foto: O acidente de janeiro - Reprodução Twitter

O MPF (Ministério Público Federal) no RN ingressou com uma ação para que o Dnit construa acostamentos em um trecho de aproximadamente 27 quilômetros da BR-226, entre os municípios de Jucurutu e Florânia, no Seridó potiguar. 

Segundo o MPF, a "rodovia é caracterizada por curvas traiçoeiras, além de muitas subidas e descidas. Apesar disso, possui apenas faixas simples de circulação dos veículos, o que amplia os riscos de acidentes".

Lembra que no dia 6 de novembro de 2018 recomendou ao Dnit  a apresentação, no prazo de 90 dias, de estudo de viabilidade técnica, econômica e ambiental para a construção do acostamento e desse início às providências para licitação e execução da obra, estipulando todo o cronograma. 

Eis que um ano e quatro meses depois só há, até hoje, "uma promessa de que o Termo de Referência deve ser concluído no segundo semestre, quando poderia então ocorrer a contratação".

Fatal

Enquanto as medidas não são adotadas, três pessoas morreram em mais um acidente no trecho, no último dia 19 de janeiro, numa colisão frontal entre dois veículos, "por conta da imprudência de um condutor que tentava concluir uma ultrapassagem perigosa". Morreram dois adultos e uma criança. "A inexistência da faixa de acostamento na via impossibilitou que um dos condutores desviasse o veículo, o que poderia evitar o choque de frente".

Autor(a): Eliana Lima