Economia

em 3 março, 2020

O que Brasil e Argentina têm em comum com Fiern, Fecomércio e Faern?

Foto: Divulgação

O Centro de Eventos do Hotel-Escola Senac Barreira Roxa foi palco hoje (3) da instalação da Câmara de Comércio, Indústria, Agricultura e Turismo Brasil-Argentina do Rio Grande do Norte (CBA).

A intenção é promover um canal direto entre o setor produtivo do RN e a Argentina para fomentar e desenvolver o intercâmbio de processos comerciais, industriais, do agronegócio, turismo e de serviços através do fortalecimento das relações econômicas, sociais, educacionais e culturais entre os hermanos e os potiguares.

Iniciativa liderada pelos presidentes das Federações - Amaro Sales (Fiern), Marcelo Queiroz (Fecomércio), José Vieira (Faern) - e o cônsul-geral da Argentina no Nordeste, Alejandro Funes Lastra.

De Amaro Sales:

- Há dois anos estamos discutindo a criação desta câmara. É muito importante a aproximação com a Argentina. O RN tem suas potencialidades e a indústria local e nada melhor que juntar forças para fortalecer o comércio entre as nações.

De Marcelo Queiroz:

- Este é um desafio para todos que compõe esta câmara.As federações vão reunir os empresários em busca de melhores produtos e melhores condições.

De Alejandro Funes Lastra:

- A região Nordeste tem muito potencial e precisa estar no radar de negócios. Há produtos aqui que tem mercado na Argentina e minha tarefa é expor as facilidades que o setor privado precisa para fazer negócios.

Em tempo

Ocasião em que foi eleita e empossada a primeira diretoria da comissão para o biênio 2020-2022, sob a presidência de Geraldo Paiva. 

A Fiern integra a mesa diretora com os empresários Gabriel Calzavara e Ricardo Valença Gomes; e o gerente do Centro Internacional de Negócios-CIN/Fiern, Luiz Henrique Guedes.

Autor(a): Eliana Lima