Nacional

em 8 março, 2020

Trans que Drauzio Varella abraçou estuprou e matou menino de 9 anos

Foto: Reprodução

Após ser abraçada pelo médico Drauzio Varella em reportagem sobre detentas transexuais, no Fantástico, Suzy Oliveira ganhou doação em dinheiro e 234 cartas. A trans disse que não recebia visitas há oito anos.

A grande repercussão hoje (8), no entanto, foi o motivo da prisão de Suzy, que o programa não informou. Matéria do site Brasil Sem Medo revelou que se trata de uma condenada por pedofilia, homicídio, estupro e ocultação de cadáver de um menino de 9 anos, chamado Fábio, em 2010.

Diz que no dia do assassinato, Suzy “chamou o menino para ajudá-la a carregar um monitor de computador em sua casa. Tendo-o dentro da casa, estuprou e matou o menino por asfixia.

Logo em seguida ela ocultou o corpo em sua casa por dois dias e o abandonou à porta da casa da mãe da criança. Para se despistar do crime, ela própria avisou a mãe que havia um corpo em sua porta e também avisou o pai sobre o falecimento da criança. Após ser presa, ela confessou o crime”.

Em depoimento à polícia, Carlita Teixeira dos Santos, tia de Suzy, “contou que ela já havia praticado outros estupros, tendo tentado abusar do sobrinho. “Ela roubava, mentia, não ia para a escola, até doze anos fazia coisas de criança, mas depois dos doze começou a roubar com arma, usava maconha.(…) Fiquei sabendo que ela trabalhava na padaria e foi acusada de estar abusando de uma criança de três anos e os parentes da criança foram na minha casa atrás dela, querendo matar ela. Fiquei sabendo que ela foi passar férias na casa do irmão e tentou estuprar meu sobrinho de cinco anos, quatro a cinco anos. (…) Na escola era acusada de pular o muro da escola, ir no banheiro passar a mão em alguém, roubava os professores, de estupro”.

Autor(a): Eliana Lima